Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

Riscos da Sibutramina

Todos já sabem que  a combinação  perfeita para emagrecer é unir alimentação balanceada com atividades físicas. No entanto, muitas pessoas por não conseguirem perder peso naturalmente, fazem uso de medicações para emagrecimento corporal prescritas por médicos, sendo que a mais consumida é a sibutramina. Mas será que essa substância traz riscos à saúde das pessoas?

Proibição da Anvisa

A Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária)  pretende proibir a comercialização  de todas as drogas usadas para emagrecimento que atuam no sistema nervoso central da pessoa, entre elas a sibutramina e os derivados de anfetamina, através de uma audiência que o Órgão pretende fazer para definir se esses inibidores de apetite terão suas vendas proibidas no Brasil. No entanto, essa reunião foi adiada e até o momento a sibutramina é comercializada livremente no Brasil.

Histórico da Sibutramina

A sibutramina na década de oitenta foi desenvolvida inicialmente pelos pesquisadores como medicamento antidepressivo que atuava  nas regiões do cérebro que controlavam o apetite, o humor e a sensação de bem-estar nos indivíduos. Somente no ano de 1997, a sibutramina foi aprovada como medicação para controle de peso, pelo Órgão norte-americano FDA( Food and Drug Administration) que regulamenta os alimentos e medicamentos nos Estados Unidos.

Porém no ano de 2009, O Public Citizen que é um grupo de defesa do consumidor no país, encaminhou um pedido ao FDA para proibir a comercialização  da sibutramina sob a alegação de que poderia causar possíveis riscos à saúde dos norte-americanos. No ano de 2010 um estudo científico foi realizado pelo Instituto chamado Scout( Sibutramine Cardiovascular Outcomes Trial) e com base nele foi proibida a venda da sibutramina nos Estados Unidos e em alguns países Europeus.

E atualmente em 2011, o Brasil, através da Anvisa pretende proibir a comercialização da sibutramina sob a alegação de que os maléficos em consequência de seu consumo são maiores do que seus benefícios como medicação para emagrecer.

Atuação dos Medicamentos Emagrecedores

Atualmente existem três drogas que atuam como emagrecedoras e estão disponíveis para a comercialização: A Sibutramina que atua dando a sensação de saciedade ao indivíduo;os derivados de Anfetamina que agem inibindo a fome e o Orlistate que é uma droga que promove a absorção de gordura atuando somente no intestino. A sibutramina age nas áreas da saciedade e apetite do sistema nervoso central.

Os derivados de Anfetaminas mais conhecidos como Mazindol, Anfepramona e Femproporex, atuam na região cerebral chamada de fenda sináptica, onde armazena a noradrenalina e dopamina diminuindo a fome da pessoa; e o Orlistate que é a única droga das três que não age no sistema nervoso central, somente no intestino do indivíduo promovendo uma redução de cerca de trinta por cento da absorção de gordura pelo organismo humano, e não faz parte da lista de proibições da Anvisa.

O uso da sibutramina estaria relacionado ao  aumento do risco da pessoa apresentar complicações cardíacas, como AVC(acidente Vascular Cerebral) e infarto, além de alterações psiquiátricas, que incluem desde depressão, ansiedade e agitação até distúrbios de conduta como agressividade e irritabilidade, entre outros.

Opinião de Especialistas

Com esse novo estudo da Anvisa e posterior  tentativa de proibição do medicamento no Brasil, muitas questões vem sendo debatidas sobre a sibutramina, e vários profissionais especializados vem se posicionando uns contra  e outros a favor da proibição da substância. De acordo com alguns psiquiatras, a utilização de medicações para emagrecimento pode provocar uma quadro de distúrbio psíquico em pessoas com predisposição ou agravar algum que já exista.

Eles ressaltam porém que o risco da sibutramina provocar esses transtornos é menor se comparado com o das anfetaminas. Porém em pacientes portadores de transtorno bipolar, o uso da sibutramina pode desencadear uma desestabilização do humor do paciente. Segundo alguns profissionais especializados em endocrinologia e contrários a proibição da sibutramina que encaram a obesidade com uma doença que precisa ser controlada com medicamentos.

A prescrição da sibutramina que é feita por esses profissionais aos seus pacientes, passam por critérios, segundo eles, como avaliação do sistema cardiovascular da pessoa,e seu uso é monitorado bem de perto pelos especialistas. Outros endocrinologistas alertam que o excesso de peso pode em alguns casos levar às pessoas a óbito em maior número do que as medicações para emagrecer, pois quando o indivíduo consegue perder peso, ele reduz o risco de desenvolver complicações cardíacas que são associadas à obesidade.

Porém a maioria dos especialistas afirmam que o emagrecimento está associado diretamente à prática de atividades físicas e a uma alimentação balanceada, porém em alguns casos há a necessidade do uso de medicações, principalmente quando a pessoa apresenta um índice de gordura corporal excessivo. As informações foram dadas, cabe agora a pessoa que deseja emagrecer verificar que benefícios terá com o uso da sibutramina, se vale a pena correr os riscos preconizados pelos Órgãos Governamentais competentes. Por enquanto, a sibutramina ainda continua sendo comercializada em nosso país.

Por Salete Dias