Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

Cirurgia para Emagrecer – Quando Vale a Pena?

Cirurgia para Emagrecer- Quando Vale a Pena?

A Cirurgia de redução de estômago foi elaborada inicialmente com o objetivo de melhorar a qualidade de vida em pacientes considerados com obesidade mórbida com o índice de massa corpórea (IMC) igual ou superior a quarenta.

Porém com o advento de algumas novas técnicas realizadas com  o mesmo objetivo de emagrecimento algumas delas ainda não são aprovadas totalmente pela comunidade médica, cada vez mais cresce o número de pessoas com problemas de sobrepeso que mesmo não atingindo esse índice considerado padrão para que o indivíduo se submeta a cirurgia para emagrecer desejam realizar a cirurgia, para que possam perder vários quilos que julgam normalmente ser um processo relativamente  fácil.

Mas será que a intervenção cirúrgica para redução de estômago vale mesmo  a pena? Será que é o melhor  tratamento em caso de indivíduos obesos?

Banalização da Cirurgia

A cirurgia para redução de estômago pode e deve ser realizada em pacientes  com obesidade mórbida cujos todos os tratamentos disponíveis utilizados para emagrecimento foram ineficazes. Normalmente as pessoas com sobrepeso tem o desejo de emagrecer muitos quilos e acreditam que com a cirurgia bariátrica isso será possível em pouco tempo.

Porém os especialistas na área médica ressaltam que esse procedimento cirúrgico tem vários riscos como todos os outros em virtude da anestesia administrada no paciente, da sutura que será feita e principalmente do pós-operatório que requer muitos cuidados, como por exemplo o modo de alimentação depois da cirurgia e infelizmente ainda há casos de pessoas que não conseguem sobreviver a esse tipo de intervenção cirúrgica.

Vale ressaltar também que existe relato de pessoas que fizeram a cirurgia de redução de estômago e tiveram um pós-operatório sem problemas, pois seguiram fielmente as recomendações médicas, e conseguiram emagrecer chegando ao peso ideal para seu tipo físico.

Opinião de Especialistas

Alguns profissionais especialistas da área informam que a cirurgia para redução do estômago deve ser realizada  pela pessoa que precisa perder muitos quilos, pois conseguirá obter êxito nesse procedimento. Eles informam que atualmente com o aprimoramento das técnicas que são utilizadas na cirurgia , se houver um bom acompanhamento médico e os pacientes seguirem a risca todas as orientações do seu cirurgião, eles conseguirão emagrecer com o mínimo de efeitos colaterais ou complicações  pós-cirúrgicas.

É importante lembrar que a pessoa ao reduzir suas medidas corporais, precisará com  certeza de uma cirurgia plástica para corrigir as peles que irão sobrar de seu corpo, devido a perda excessiva de peso. Vale ressaltar também que  a cirurgia só deve ser realizada por pessoas que não responderam bem aos outros tipos de tratamento para a obesidade, como por  exemplo fazer uma reeducação alimentar orientada por profissionais da área de nutrição, e adotar o esporte ou exercícios físicos como estilo de vida acompanhadas por um professor de educação física.

Considerações Sobre a Cirurgia Bariátrica e Obesidade

De acordo com especialistas as cirurgias bariátricas ou para redução do estômago, são normalmente realizadas com técnicas baseadas na diminuição ou na retirada de parte  do órgão da pessoa. Porém o estômago é de extrema importância para que ocorra o processo de absorção de nutrientes como por exemplo, ácido fólico, ferro e a vitamina B1, por isso em virtude desse fato, a grande maioria dos indivíduos que se submetem à cirurgia bariátrica terá de fazer uma reposição dessas substâncias no seu organismo, o que a longo prazo poderia tonar-se um incômodo para o paciente.

Por isso para alguns profissionais da área médica, a cirurgia bariátrica só deve ser feita em caso de extrema necessidade. A obesidade de acordo com especialistas pode ser causada por três prováveis fatores: Compulsão alimentar; Resistência à insulina e Disfunção da glândula Tireóide, sendo que pode haver também uma combinação de dois deles. No caso da tireóide cuja função é regular o metabolismo do organismo humano, quando sua função está reduzida pode haver casos de obesidade.

Um outro problema apontado como causador da obesidade é quando há um aumento frequente  da glicose na corrente sanguínea do paciente ocorrendo uma resistência à insulina, ou seja quando ela não funciona  de maneira adequada no transporte de glicose para o interior da célula para produção de energia e finalmente a compulsão alimentar que é um problema muito mais emocional do que físico, quando o paciente come compulsivamente  para suprir uma carência afetiva. Vale ressaltar que essas causas ainda não são um consenso dentro da comunidade médica.

Por Salete Dias