Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

A correlação entre o fast food e a obesidade

Uma pessoa não necessita ter um quociente de inteligência comparável à de Albert Einstein para perceber que há uma ligação definitiva entre o fast food e a obesidade. É fácil perceber que a epidemia da obesidade no mundo em geral é em grande parte pelo resultado do crescimento rápido da indústria de alimentos de fast food.

Alguns fatos relevantes

Cerca de trinta e um por cento das pessoas nos Estados Unidos tem um IMC de 30 ou mais e são considerados obesos. Cerca de sessenta por cento de cidadãos dos EUA tem um IMC de pelo menos 25 e, portanto, estão acima do peso. A taxa da obesidade infantil nos Estados Unidos triplicou desde 1970. Em 2007, estima-se que 368.000 americanos morreram de condições de saúde relacionados à obesidade. No Brasil, esses números não são tão diferentes e esse problema já pode ser notado com frequência por aqui.

Qual o impacto do fast food na obesidade? A cada ano aumenta a venda de fast food no mundo, movimentando uma indústria bilionária. Boa parte desse dinheiro é gasto em campanhas publicitárias destinadas a aumentar ainda mais as vendas. Muitos dos comerciais de fast food e refrigerantes são dirigidos às crianças, que se tornaram viciadas em alimentos fritados e gordurosos desde jovens.

Você ainda não está convencido que o fast food e a obesidade andam de mãos dadas? O fast food é rico em gordura saturada e açúcar refinado e tem um valor nutritivo muito baixo. Se você visitar uma famosa rede de fast food, e ingerir um pequeno hambúrguer, uma batata frita média e uma bebida média regular você irá ingerir cerca de 1.300 calorias em uma única refeição. Nessa refeição seria aproximadamente 56 gramas de gordura e de 1380 miligramas de sal. O refrigerante contém aproximadamente 42 gramas de açúcar. Se você colocar ketchup nas suas batatas fritas a contagem de calorias aumenta ainda mais.

As causas do problema

O que está causando o aumento do consumo de fast food e o mal da obesidade? Existem muitos fatores que estão contribuindo para o problema. A sociedade mudou nas últimas décadas e, em média, ambos os pais trabalham na família por muitas horas e deixa pouco tempo para cozinhar refeições nutritivas em casa. Fast food tem paladar bom e muitas vezes contém um aditivo chamado MSG, aditivo que faz com que as pessoas desejem comer aquele tipo de alimento. Além disso, quando nós ingerimos gordura e açúcar, a serotonina que é uma substância química é liberada no cérebro de modo que nós inconscientemente associe a comê-lo com prazer. É claro que os comerciais tentadores tornam ainda mais difícil resistir à tentação das comidas de fast food.

Definitivamente há uma correlação entre o fast food e a obesidade. Há também uma correlação entre a obesidade, problemas cardiovasculares, hipertensão e diabetes do tipo dois. Se todas as pessoas nos Estados Unidos e no resto do mundo parassem de comer fast food, a obesidade diminuiria significativamente na nossa sociedade, claro que só isso não é suficiente, mas com certeza já é um grande passo!