Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

Antioxidantes naturais

Talvez você já tenha lido em algum lugar a respeito dos antioxidantes: substâncias capazes de ajudar nosso organismo a livrar-se dos radicais livres, substâncias tóxicas produzidas naturalmente pelo processo de respiração. Mas você sabia que há muitas substâncias que agem como antioxidantes naturais e que podem ser obtidas facilmente por meio de uma boa alimentação?

Neste artigo, falaremos sobre a importância desses antioxidantes naturais para o nosso organismo sob diversos pontos de vista, por exemplo para quem pratica esportes!

Antioxidantes naturais para quem faz esportes

Todas as atividades de nível celular do corpo humano produzem radicais livres, até mesmo a respiração. Então todos nós produzimos isso, concorda? Qualquer tipo de pessoa, sendo sedentária, parcialmente ativa ou um atleta produz radicais livres. Para reverter esse efeito, faça uso dos antioxidantes.

Eles são extremamente importantes para a saúde e o bom desempenho dos atletas, mas muitas pessoas não sabem disso. Pensando nisso, o Nutrição Sempre fala desse tema de uma forma acessível a qualquer pessoa.

Os antioxidantes são substâncias que combatem a ação dos radicais livres no corpo. Veja alguns exemplos:

  • As vitaminas A, C e E;
  • Zinco;
  • O mineral selênio;
  • O cobre;
  • Os flavonoides polifenóis, encontrados nos vegetais.

Essas substâncias são facilmente encontradas nos alimentos de origem vegetal, nos chás e em todas as frutas.

A oxidação é um processo natural do organismo, que destrói células e tecidos, mas que com o passar dos anos pode acarretas doenças do sistema circulatório, envelhecimento, além de doenças degenerativas e alguns tipos de câncer. Apesar de ser um processo que acontece com todas as pessoas, a produção de radicais livres é mais intensa nos atletas e esportistas, por execerem atividade física intensa. Por isso, a atividade física atua como um agente estressor para as células dos atletas e esportistas. Apesar disso, os benefícios da prática ultrapassam muito esse malefício.

Você já ouviu falar que “todo atleta é doente”? É uma verdade, pois além da ação dos radicais livres, eles estão expostos a lesões nos músculos e ossos e a doenças cardiorrespiratórias, entre vários outros problemas de saúde. Mas, com uma alimentação rica em nutrientes e equilibrada, é possível retardar a ação destes radicais livres.

Claro que é importante se consultar com um bom nutricionista, que vai determinar uma alimentação correta para você. O consumo de antioxidantes é o maior aliado dos atletas e esportistas, especialmente a suplementação de vitamina E, que evita a oxidação das células. Essa vitamina dá proteção ao organismo contra o processo de oxidação, diminuindo o efeito dos radicais livres. Por isso, se você faz atividade física mais intensa, consuma antioxidantes.

E que tal agora falarmos sobre duas substâncias que agem como antioxidantes naturais bastante conhecidas: a vitamina A e a vitamina C.

Vitamina A

Quem nunca ouviu falar da importância das vitaminas para a saúde das pessoas? Para que todos possam conhecer um pouco mais sobre elas veremos  a seguir  a Vitamina A, que muitos  a consideram como mais importante do que as outras vitaminas.

Função da Vitamina A no Organismo Humano

A vitamina A também é conhecida como retinol e tem a a propriedade de sofrer uma rápida transformação no organismo humano transformando-se na sua forma mais efetiva que é o ácido retinoico, e está presente no corpo das pessoas nas suas principais formas que são  ATRA, considerada a mais importante e o 9-cis RA.

A principal função da vitamina A é formar um comporto de proteínas que é conhecido como Rhodopsin cuja função é atuar nos olhos dos seres humanos reagindo à luminosidade do meio ambiente tornando a visão humana possível. Porém de acordo com especialistas a principal função da vitamina A é sem dúvida alguma aquela que é realizada por seus fatores conhecidos como receptores que nada mais são do que estruturas de transcrição familiar dos receptores dos núcleos.

Através desses receptores é  que o ácido retinóico formado a partir da vitamina A consegue atingir quase todas as funções celulares do organismo da pessoa. Em virtude disso, o consumo da vitamina A deve ser sempre em quantidades normais e nunca em excesso.

Vale ressaltar que em pesquisas mais atuais foi demonstrado pelos cientistas que a vitamina a atua como um antioxidante, combatendo os radicais livres que são estruturas que estão relacionadas a algumas enfermidades além de acelerarem o processo de envelhecimento nos indivíduos. Porém, mesmo com todos esses benefícios, o seu consumo deve ser sempre comedido para que sua ingestão excessiva não cause prejuízos à saúde da pessoa.
Deficiências da Vitamina A
Porém se o consumo excessivo da vitamina A pode ser prejudicial ao organismo humano, sua deficiência no corpo da pessoa também pode trazer consequências para a saúde dos indivíduos. A falta de vitamina A  que é conhecida como avitaminose resulta em um quadro clínico conhecido com xeroftalmia que se caracteriza quando um dos epitélios que reveste o globo ocular é gravemente afetado.

Os especialistas denominam de xeroftalmia aos vários sintomas e sinais presentes no olho humano devido a ausência da Vitamina A ou Hipovitaminose. A manifestação clínica precoce da xeroftalmia é um quadro conhecido como cegueira noturna que se caracteriza pela não adaptação visual a ambientes mal iluminados.

Outros problemas diretamente associados a hipovitaminose A são a fotofobia (Sensibilidade a Luz), Hemeralopia (Déficit de visão a noite), diminuição do paladar e do olfato nas pessoas, lesões, ressecamento e infecção da pele,  e em casos mais graves tumor nos olhos.

Principais Causas do Déficit da Vitamina A

De acordo com especialistas as principais causas da deficiência da Vitamina A no organismo humano podem ser: Ingestão deficitária de alimentos ricos em Vitamina A ;Desmame precoce ou falta de aleitamento, já que o leite materno é rico nessa vitamina, Déficit no consumo de  alimentos que contenham gordura, pois ela é responsável por manter o bom funcionamento de várias funções do organismo, sendo que a principal delas é favorecer a absorção de vitaminas lipossolúveis como a vitamina A por exemplo.

Cardápio à Base de Vitamina A

Os profissionais especializados em nutrição orientam que para elaborar um cardápio com alimentos ricos em vitamina A ele deve conter: Gema de ovos, leite. Queijos, acelga, caju , brócolis, couve, espinafre, manga, tomate, entre outros.

Vale ressaltar que o consumo exagerado da vitamina A pode resultar em fissuras labiais, pele seca e áspera, cãibras, edemas, irritabilidade entre outros. Em pessoas que fazem tratamento de acne com ácido retinóico os cuidados devem ser redobrados para que não haja uma hipervitaminose A.

Vitamina C

A vitamina C, também conhecida como ácido ascórbico, tornou-se mundialmente conhecida devido à sua importância no combate ao escorbuto, uma doença que atingia os marinheiros, tornando os dentes e gengivas dos mesmos sangrentas e inflamadas.  No entanto, as funções dessa vitamina no organismo não pára por aí, ela participa da síntese de hormônios, dentre outras diversas funções como:

  • Fortalece o sistema imunológico;
  • Auxilia na absorção do ferro – Ela é essencial para aumentar a biodisponibilidade do ferro presente nos alimentos;
  • Previne o escorbuto – doença que atinge os dentes e as gengivas causando hemorragias e inchaços purulentos;
  • Garante resistência aos ossos e dentes;
  • Previne o envelhecimento precoce e a pele flácida.

A vitamina C é potencialmente conhecida pelo papel desempenhado por ela no sistema imunológico do indivíduo, em casos de gripes e resfriados sempre costumamos recorrer aos poderes da vitamina C para combater este mal. No entanto, diarreia e pedras nos rins podem ser ocasionadas pelo excesso desta vitamina no organismo, mas não deveríamos nos preocupar muito quanto a isso, uma vez que a mesma é hidrossolúvel, o que permite a fácil eliminação da mesma por meio da urina, somente causando problemas em níveis realmente altos.

Além disso, a vitamina C apresenta o importante papel de antioxidante, o que significa que ela ajuda a retardar o envelhecimento celular, algo muito importante, tanto a nível da saúde quanto da estética.

Os alimentos mais ricos em vitamina C são frutas como a acerola, frutas cítricas (limão, laranja, tangerina, etc), morango e mamão, dentre outras. Deve-se levar em consideração o fato de que a vitamina C é bastante instável quando exposta à luz solar, oxigênio ou temperaturas elevadas, fazendo com que perca suas propriedades, desta forma, as frutas devem ser consumidas bem frescas e sucos devem ser ingeridos imediatamente, pois após o preparo a vitamina C presente começa a degradar-se.

Ficou mais clara agora a importância dos antioxidantes naturais para o nosso organismo?

Por Salete Dias e Marcelle França