Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

Efeitos da cafeína no desempenho físico

Estimulante conhecido no mundo todo, a cafeína é classificada como um alcalóide ativo com propriedade de estimular o sistema nervoso central nos seres humanos. Apesar de não apresentar um valor nutritivo é muito utilizado por alguns atletas por apresentar um efeito ergogênico (todo aquele agente fisiológico que melhora o desempenho  físico), e pela facilidade em ingeri-la, pois a cafeína constitui grande parte das bebidas ou alimentos mais consumidos, sendo que os principais são o café , o chocolate, o mate, entre outros.

Pesquisas sobre exercícios físicos e consumo de cafeína

Na década de setenta vários estudos científicos foram conduzidos por pesquisidores que desejavam relacionar o consumo da cafeína com o desempenho físico que os indivíduos apresentavam, em especial os atletas que participavam de competições ou jogos olímpicos. Segundo as pesquisas da época  durante a prática das atividades físicas pelos indivíduos, naqueles que tinham ingerido cafeina havia um aumento na liberação do hormônio adrenalina na corrente sanguínea. Este processo resultava na liberação dos ácidos graxos pelos músculos do esqueleto ou pelos tecidos adiposos, em consequência da atividade muscular durante o exercício. A utilização dessa gordura diminuía, desse modo a demanda de carboidratos nos grupamentos musculares do corpo do atleta.

Já nos anos oitenta , outras pesquisas indicavam que a cafeína não produzia nenhum tipo de alteração no metabolismo do organismo humano, apontando  para a conclusão de que o efeito ergogênico na realidade não existia. Outros estudos científicos, no entanto, contrariavam esta versão afirmando a existência da propriedade ergogênica da cafeína, e sua consequente influência no bom desempenho orgânico dos indivíduos que praticavam algum tipo de atividade física, ou então em atletas e esportistas amadores ou profissionais.

Segundo os pesquisadores, a melhora no desempenho físico se daria em virtude da presença do glicogênio no músculo do atleta depois da ingestão da cafeína. Com o passar dos anos outros estudos foram realizados sugerindo que quando a pessoa ingeri determinada quantidade de cafeína seu desempenho físico tende a melhorar, sendo que a dose ideal para potencialização dos treinos, de acordo com pesquisadores, seria algo em torno de três a seis mg/kg. Porém as pesquisas mais recentes concluíram que quando a cafeina é consumida antes de atividades físicas pode potencializar  o desempenho físico em atividade prolongadas de endurance, ou em exercícios de apenas cinco minutos com baixa intensidade.

Atuação da cafeína no corpo humano

Segundo especialistas, a cafeína possui uma participação significativa no mecanismo que envolve as ações do sistema central e periférico, apresentando como consequência  mudanças nos processos metabólicos e fisiológicos que contribuiriam para otimizar o desempenho físico dos praticantes de atividades físicas ou atletas profissionais. Quanto ao possível efeito ergogênico descrito em estudos científicos anteriores até  o presente momento ainda é motivo de controvérsia na comunidade cientifica, em virtude de terem sido observados outros fatores que podem estar associados a melhora do desempenho do indivíduo.

Teorias sobre a ação da cafeína no organismo humano

Segundo especialista na área, depois de todas estas pesquisas cientificas envolvendo o possível efeito da ingestão de determinada dose de cafeína com o desempenho físico de atletas ou indivíduos praticantes de atividades físicas, foram abordadas algumas teorias para tentar encontrar uma reposta adequada que confirme ou refute estas hipóteses.  A primeira teoria estaria relacionada com o efeito direto da cafeína que afetaria uma percepção subjetiva dos indivíduos que a tivessem ingerido, através de uma atuação direta no  sistema nervoso central dos seres humanos. Desse modo, a atuação estimulante da cafeína estaria relacionada a um estímulo do sistema nervoso simpático que potencializaria a ação da epinefrina, que é uma  catecolamina.

Já os partidários de uma outra teoria acreditavam que a cafeína atuaria diretamente em alguns  mecanismos, como por exemplo: ação sobre a regulação metabólica de enzimas, alterações dos íons do potássio e sódio, entre outras reações metabólicas. Desse modo pela ação direta sobre o músculo, a cafeína poderia aumentar o desempenho físico do individuo. A hipótese mais recente aponta para uma sensibilidade das miofibrilas do cálcio que seriam influenciadas pela ingestão de determinada dose de cafeina.

A ação da cafeína no retículo sarcoplasmático tornaria o cálcio mais permeável aumentando o efeito dele na contração dos músculos corporais. Outra hipótese levantada por pesquisadores estaria relacionada a cafeina e ao aumento da mobilização dos ácidos graxos presentes no estoques musculares  ou nos tecidos. Esse efeito seria devido a um aumento da produção de epinefrina presente na circulação sanguínea.

Considerações finais

Vários estudos foram realizados sobre  os efeitos da cafeina no desempenho físico dos indivíduos praticantes de atividades físicas e apesar de algumas controvérsias, o que os pesquisadores puderam concluir é que há alguma relação entre esta hipótese levantada. Vale ressaltar que todo atleta profissional antes de ingerir qualquer tipo de substância, que tenha um caráter estimulante deve reportar esta situação ao seu técnico ou uma banca examinadora.

Por Salete Dias