Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

Prevenção à osteoporose começa na infância

A maioria das pessoas acha que a osteoporose (perda de massa óssea) é uma doença de pessoas idosas. No entanto, embora as pessoas normalmente percam massa óssea com o avanço da idade, a quantidade de crescimento ósseo que ocorre durante a infância e adolescência é um fator muito importante no desenvolvimento de osteoporose.

Isso é o que os especialistas dos Institutos Nacionais de Saúde (NIH), disse em uma conferência sobre o diagnóstico da osteoporose, prevenção e terapia há mais de dez anos. Nesse artigo veremos como é possível fazer a prevenção da osteoporose que começa ainda na infância.

Ossos saudáveis começam na infância

Os ossos crescem de tamanho durante a infância, ganham massa e força. A quantidade de massa óssea obtida quando a pessoa é jovem determina a sua saúde óssea para o resto da vida. Quanto mais massa óssea que ela tem após a adolescência, mais proteção terá contra sua a perda mais tarde.

A infância é fundamental para o desenvolvimento de hábitos de vida que suportam uma boa saúde dos ossos. O tabagismo muitas vezes começa na adolescência, e traz vários problemas de saúde quando esse jovem se desenvolve e se transforma em um adulto. Esse vício tem um efeito nocivo sobre o desenvolvimento da massa óssea.

Uma boa nutrição é vital para o crescimento normal. Como todos os tecidos, o osso necessita de uma dieta equilibrada, calorias suficientes e nutrientes adequados, tais como o cálcio. Mas nem todo mundo segue uma dieta que é melhor para sua saúde óssea.

O cálcio é o nutriente mais importante para atingir o máximo de massa óssea. Ele previne e trata a osteoporose. O corpo necessita de vitamina D para absorver o cálcio de forma eficaz.

A maioria dos lactentes e crianças jovens deve ingerir quantidade suficiente de vitamina D, a partir de leite fortificado. Mas os adolescentes não consomem muitos produtos lácteos. Quando eles não podem obter níveis adequados de vitamina D e a dieta não está adequada, isso pode prejudicar a nutrição e a saúde óssea do jovem e da criança.

Os adolescentes que fazem dieta podem necessitar tomar suplementos de cálcio e vitamina D. O Instituto do governo federal de Medicina recomenda uma ingestão de cálcio para crianças de 9 a 17 anos de 1.300 mg / dia (800 mg / dia para crianças de 3 a 8 anos). No entanto, apenas cerca de 30% dos meninos e 10% das meninas nessa faixa etária têm uma dieta que atenda a essas recomendações.

Alguns fatores de risco que contribuem para a osteoporose em crianças e jovens

Vários grupos de crianças e adolescentes estão em risco pela pobreza de sua saúde óssea, incluindo:

  • Prematuros e bebês com baixo peso ou que tenham ao nascer um peso bem menor do que o esperado – a massa óssea nos primeiros meses de vida pode sofrer danos quando eles começarem seu desenvolvimento físico e orgânico.
  • As crianças que tomam medicamentos como esteroides para tratar doenças respiratórias como a asma.
  • As crianças que têm fibrose cística, doença celíaca, e doença inflamatória do intestino. Estas condições tornam difícil para o corpo absorver os nutrientes adequadamente, causando como consequência o enfraquecimento dos ossos desses jovens e crianças pela dificuldade de absorção do cálcio pelo organismo.
  • As meninas adolescentes que têm pequenos atrasados ou ciclos menstruais irregulares por causa do treinamento atlético extenuante, estresse emocional ou baixo peso corporal.
  • Crianças com paralisia cerebral e outras condições que colocam limites à atividade física, especialmente aqueles que tomam medicamentos para controle das crises crônicas.

Prevenção da osteoporose em crianças e jovens

Muitos estudos científicos ainda são necessários serem desenvolvidos por cientistas renomados para tentar potencializar o desenvolvimento máximo de massa óssea tanto em meninas quanto em meninos. Pais e filhos podem se beneficiar ao seguirem estas sugestões que com certeza servirão para prevenir a osteoporose em crianças e adolescentes:

– Certifiquem-se de obter quantidade suficiente de cálcio e vitamina D durante toda a sua vida, através de alimentação natural, ou se não for possível desse modo, deverá haver a ingestão dos suplementos alimentares que sejam ricos nessa vitamina.

– Exercitem-se regularmente, com atividades de resistência e alto impacto, procurando um especialista na área de educação física para orientá-los sobre os melhores exercícios físicos a serem feitos.

– Procurem se alimentar com uma dieta equilibrada e seguir um estilo de vida saudável com a prática sempre que possível de atividades físicas regulares.

Por Salete Dias