Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

Obesidade infantil já atinge 15% de nossas crianças!

Devido aos maus hábitos alimentares e estilo de vida sedentário, nossas crianças estão cada vez mais acima do peso e 15% delas já se encontram na faixa da obesidade! São dados alarmantes que mostram a necessidade de uma política urgente para combate à obesidade em casa e nas escolas, pois, para os que não lembram, o problema da obesidade não é somente quanto à estética, mas também quanto às suas consequências, como um maior risco de desenvolver diabetes e infecções cardiorrespiratórias, bem como a possibilidade de deformações ósseas (principalmente nos casos de obesidade infantil, já que na infância nossos ossos ainda estão em formação).

Especialistas alertam que os altos índices de crianças obesas podem também levar a um maior número de adultos acima do peso, já que tais crianças possuem maior propensão a isso. Especialistas concordam quanto à necessidade de um processo de reeducação alimentar completo, começando em nossos lares. Pais e responsáveis devem ser os primeiros a incentivarem um maior consumo de frutas, verduras e legumes, bem como a moderarem o consumo de frituras, alimentos gordurosos e sal.

Vale salientar que a obesidade possui também efeitos psicológicos, como a baixa auto-estima, que leva a criança a considerar-se, de certa forma, inapta a algumas tarefas ou mesmo ao convívio social com outras. Ela se sente diferente, devido ao seu peso e hábitos.

Além da reeducação alimentar, deve haver também uma reeducação quanto à prática de atividades físicas, quebrando assim o sedentarismo infantil. O problema da obesidade infantil não ocorre somente no Brasil, mas também em muitos países desenvolvidos, como os Estados Unidos e Reino Unido, apontando que a falta de atividades físicas aliada a uma má alimentação pode apresentar resultados catastróficos, fazendo com que uma DCNT (doença crônica não-transmissível) passe a ser considerada uma epidemia, devido à sua expansão ano após ano.

Nunca é demais lembrar que jovens obesos são muito mais propensos a doenças cardiovasculares, dentre eles a hipertensão arterial!

E lembrando que o combate à obesidade deve acontecer também dentro das escolas! Grande parte do tempo da vida de uma criança se passa dentro de uma escola, onde ela poderá ter acesso a outros tipos de alimentação, seja por meio da merenda escolar oferecida em escolas públicas, seja por meio dos lanches adquiridos nas cantinas e lanchonetes das escolas particulares. Deve-se haver um maior controle de todos esses tipos de lanches a fim de garantir que alimentos mais saudáveis cheguem até nossos jovens.

Professores e familiares devem incentivar a reeducação alimentar de todas as crianças, apoiados por alguma assistência médica e nutricionista, nos casos de crianças que já se encontram acima do peso. Além disso, as atividades físicas promovidas dentro das escolas apresentam papel importante no rompimento do sedentarismo infantil, mas isso também deve ser feito fora da escola, com os pais incentivando os filhos a participarem de academias, a andarem de bicicleta e a praticarem caminhadas periodicamente.

Se todos nos unirmos no combate à obesidade infantil, podemos fazer aqueles 15% caírem até chegarem a 0%. Mas somente conseguiremos isso por meio da participação de todos, pois esta é uma guerra em que todos nós devemos atuar!