Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

Medidas da OMS contra a obesidade infantil

Mediante o crescente número de crianças obesas em todo o mundo e do risco que este fato representa a saúde, a Organização Mundial da Saúde adotou algumas medidas para controlar o aumento da obesidade em crianças. Sabe-se que a obesidade é considerada uma doença que afeta milhares de pessoas em todo mundo, além disso essa doença promove uma série de outros problemas a saúde como diabetes tipo 2, hipertensão arterial, problemas do coração, renais entre outros.

Os hábitos alimentares infantis associados a ausência de atividades físicas sem dúvida são fatores que contribuem para o aumento da obesidade infantil em crianças. Os pais devem se conscientizar da importância de garantir que os filhos tenham hábitos alimentares saudáveis, muitas vezes os gostos e vontades da criança imperam sobre a vontade dos pais que acabam por ceder e compram diversos alimentos que são gordurosos e extremamente calóricos. Esses alimentos acabam por fazer parte das preferências da criança e mais tarde torna-se difícil retirá-los do cardápio dos pequenos e substituí-los por outros que sejam saudáveis.

Crianças obesas além de desenvolverem sérios problemas relacionadas a saúde, também podem apresentar dificuldades relacionadas ao ambiente que convivem, pois muitas crianças que estão acima do peso sofrem dificuldades  de relacionamento além de ter que encarar desde cedo o preconceito. Por esses e outros motivos que podem garantir graves problemas à saúde e vida social da criança, é que a Organização Mundial da Saúde criou estratégias para controlar o crescimento da obesidade infantil em todo mundo.

 Medidas da OMS contra a obesidade infantil

Uma das estratégias propostas pela OMS para controlar o problema da obesidade infantil é avaliar o IMC do nascimento até os cinco anos de idade da criança. O IMC é uma medida importante pois avalia se uma criança se encontra abaixo ou acima do seu peso ideal, alguns profissionais de saúde discordam da utilidade do IMC. No entanto, a OMS alerta que o IMC pode servir como uma forma de alertar os pais sobre a importância do filho está com sobrepeso ou obeso. A partir do diagnóstico de obesidade ou sobrepeso, o profissional de saúde pode buscar medidas alternativas para resolver o problema.

Os profissionais da área de saúde também alertam para o fato de que na maioria dos casos de obesidade infantil, a melhor alternativa é incentivar a criança a praticar exercícios físicos pois a maioria das crianças que estão obesas são sedentárias. Quando a criança não pratica atividades físicas, ela não consegue gastar as calorias ingeridas ao longo do dia.  Vale lembrar que ficar horas em frente a TV ou computador além de outras atividades sedentárias devem ser desencorajadas pelos pais e responsáveis.

Outra prática antiga e que é recomendada pela OMS é a de uma alimentação saudável que contenha uma grande variedade de alimentos como frutas, verduras e legumes. O cardápio de pessoas obesas em geral, é repleto de alimentos como bebidas açucaradas, frituras, fast food entre outros alimentos extremamente calóricos e pobre em nutrientes. O que se vê atualmente é um grande número de crianças obesas desnutridas, ou seja, visivelmente a criança apresenta um grande estoque de gordura, no entanto ela apresenta graves deficiências de nutrientes como vitaminas e minerais. Dessa forma, a criança obesa torna-se mais susceptível a problemas de saúde que vão desde os que são provocados pela obesidade até mesmo as doenças e distúrbios provocados pela ausência de vitaminas e minerais essenciais.

Considerações finais

Para corrigir os problemas causados pela obesidade não basta apenas as estratégias da Organização Mundial da Saúde, é preciso que os pais e os responsáveis estejam cientes de que o trabalho para combater a obesidade deve ser iniciado em casa e ainda na primeira infância com medidas que possam promover bons hábitos alimentares e evitar os excessos bem como o consumo exagerado de alimentos hipercalóricos. Ceder as vontades e os pedidos alimentares não saudáveis dos filhos deve ser algo raro, feito de vez em quando para quebrar a rotina. Os alimentos saudáveis e atividades físicas é que devem fazer parte da rotina e do hábito alimentar de crianças e adolescentes para que a obesidade possa ser evitada de maneira eficiente e duradoura.

É importante que os pais saibam que evitar a obesidade no seu filho também é um ato de amor, pois os grandes responsáveis por uma criança obesa são os pais e responsáveis que controlam a alimentação da criança.