Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

Excesso de guloseimas na dieta infantil

O excesso de guloseimas na dieta infantil é algo que preocupa muitos especialistas da saúde e alguns pais, isso porque como sabemos, as guloseimas são fontes de muitas calorias e em contrapartida são deficientes em nutrientes importantes para o desenvolvimento das crianças.

O aumento da obesidade entre as crianças deixa a sociedade ainda mais atenta quanto ao consumo exacerbado de guloseimas entre os pequenos. Sabe-se que a obesidade é uma doença crônica que mesmo em crianças, pode gerar outros problemas de saúde como hipertensão, diabetes, doenças cardíacas entre outros problemas de origem social e psicológica.

Riscos do excesso de guloseimas na dieta infantil

Quando a criança consome uma elevada quantidade de guloseimas, ela consequentemente abre mão de outros tipos de alimentos que são muito importantes para o crescimento e desenvolvimento infantil. O que ocorre é que muitas delas tornam-se obesas, entretanto apresentam deficiências severas de nutrientes, vitaminas e minerais.

Algumas dessas guloseimas tão apreciadas pelas crianças são extremamente ricas em sódio e por isso a longo prazo podem causar alterações indesejadas na saúde das crianças. Com o consumo frequente de uma elevada quantidade de sódio, o corpo passa a reter líquidos e a pressão arterial torna-se elevada, além disso o surgimento de problemas renais também pode ocorrer.

Os açúcares também são preferência garantida entre as crianças, porém o seu consumo deve ser controlado. Quando consumido em excesso, os açúcares elevam rapidamente a glicose sanguínea e necessitam de uma grande quantidade de insulina para a sua absorção pelas células. A longo prazo, o consumo de açúcar pode causar diabetes tipo 2 que geralmente vem acompanhada da obesidade, devido a resistência a insulina que as células podem apresentar com o passar do tempo. Outro problema comum em crianças e atribuído ao consumo de açúcares em excesso, são as cáries dentárias.

As gorduras também estão presentes em uma grande variedade de guloseimas. A gordura presentes nos alimentos não é somente aquela adquirida através de alimentos fritos no óleo, existem as gorduras embutidas em biscoitos recheados e chocolates que são extremamente prejudiciais ao organismo, pois em excesso podem causar problemas cardíacos e obesidade.

Os corantes presentes em balas e pirulitos principalmente, são prejudiciais à saúde pois eles se acumulam e a longo prazo podem gerar câncer de intestino.

O consumo de guloseimas com moderação

Quando citamos todo os malefícios associados ao consumo de guloseimas, podemos pensar que devemos excluí-las totalmente da alimentação infantil, no entanto isso não é verdade. As guloseimas podem ser consumidas com moderação e em horários apropriados para que não venham atrapalhar as principais refeições das crianças.

Alguns doces ou sorvetes podem ser liberados esporadicamente, para aquelas crianças mais exigentes pode-se liberar um dia da semana para a família frequentar lanchonetes ou um dia para que a criança possa levar para a escola lanches que sejam guloseimas. Durante a liberação da ingestão de guloseimas, controlar as quantidades desses alimentos é fundamental para que não haja uma grande ingestão de guloseimas ao mesmo tempo.

O mais importante é não deixar que o consumo de guloseimas seja a principal forma de alimentação das crianças, ou seja, deve-se evitar que esses alimentos sejam algo constante e prioritário na dieta infantil. Quando esse consumo é feito de forma desordenada e frequente a obesidade sem dúvida é um dos principais efeitos que podemos constatar nas crianças. O número de crianças obesas vem a cada dia mais aumentando, e isso é um sinal de que a dieta infantil não está atendendo as necessidades nutricionais de forma correta.

Considerações finais

O excesso de guloseimas na dieta infantil é algo que deve ser combatido, pois como já vimos o consumo excessivo desses alimentos pode causar uma série de problemas a saúde infantil bem como pode trazer dificuldades no convívio social com outras crianças. Uma alimentação saudável é essencial para que a criança possa se desenvolver de forma saudável e consequentemente não se tornar uma pessoa obesa.

É importante incentivar o consumo de alimentos como frutas, verduras e legumes bem como despertar na criança o interesse por lanches mais saudáveis. Os pais devem contribuir ativamente para que a criança se alimente de forma saudável. Não adianta querer que seu filho consuma alimentos saudáveis, enquanto o resto da família não faz o mesmo. Além de uma alimentação saudável também é fundamental que a criança pratique atividades físicas para evitar o sedentarismo e outros problemas de saúde.