Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

Crianças com transtorno alimentar

Qualquer mãe, quando vê que seu pequeno não está se alimentando bem fica bastante preocupada, não é verdade? O transtorno alimentar em crianças costuma acontecer em muitas das crianças ainda na fase de amamentação.

Como se manifesta o transtorno alimentar?

O transtorno alimentar em crianças se manifesta como uma alimentação deficiente que a impede de ganhar peso que se estende por ao menos 30 dias. Quando têm o transtorno, a criança fica muito chorosa e se irrita facilmente; porém ela fica em outros momentos apática, isolada do mundo, o que pode, em alguns casos, retardar seu desenvolvimento.

Os especialistas no assunto dizem que quando o distúrbio aparece na primeira infância; existe a possibilidade de ele estar ligado a uma relação conflituosa entre pais e filhos com relação ao alimento.

Motivos pelos quais a criança não come

Esse transtorno pode afetar os bebês na fase da amamentação quando a criança não quer o leite materno nem a mamadeira. Essas crianças começam a não fazer a força de sucção para puxar o leite e depois, com o tempo, passam a recusar o peito da mãe.

Os especialistas acreditam que os motivos dessa recusa podem ser apenas fisiológicos. Fatores de ordem emocional também influenciam esse quadro, especialmente quando a criança está sendo desmamada, o que gera muita ansiedade e agitação no bebê. Então, é importantíssimo que a mãe entenda esse processo e não faça esse desmame de uma forma abrupta.

Transtornos alimentares que podem aparecer na infância

  • Regurgitação – chamada também de ruminação, é quando o alimento vai e volta do estômago, após ser consumido pela criança. É uma dificuldade no processo de deglutição, que deve ser investigada pelo médico, sobretudo se ela continuar depois dos 6 meses de vida. A criança com esse problema faz a re-mastigação dos alimentos que voltam do estômago e, que em situação normal, deveriam ter sido deglutidos de forma correta. Quando o bebê estiver indo e voltando para frente e para trás, arqueando a coluna e fazendo o movimento de sucção, é possível que ele esteja fazendo a regurgitação. A criança deve ser tratada a tempo, para que não venha a apresentar desidratação nem desnutrição, consequências comuns em crianças que tem esse tipo de transtorno alimentar;
  • Vômitos – Costumam acontecer na maioria das crianças e são feitos de forma involuntária pelo bebê. Várias podem ser a causa dos vômitos – que acontecem devido a espasmos musculares que acontecem no abdômen da criança. Geralmente eles ocorrem por causa da rapidez da ingestão do alimento ou mesmo por causa de uma grande quantidade de comida dada ao bebê. Medo inconsciente de perder a mãe e querer chamar a atenção também podem ser fatores que induzem a criança ao vômito.

Hereditariedade de doenças metabólicas

Tratam-se de transtornos alimentares originados em genes autossômicos; que afetam de forma direta o metabolismo das gorduras, proteínas e carboidratos.

Essa alteração afeta a forma da qual o corpo elimina os líquidos, fazendo com que eles fiquem retidos no corpo. As variantes mais graves desse tipo de alteração autossômica são as PA e MMA, que se manifestam fisicamente como: letargia e vômitos, anorexia, chegando até mesmo a ter convulsões e como consequência, podem chegar ao coma.

Caso o seu filho comece a rejeitar constantemente o alimento, mesmo sem manifestar nenhum problema aparente, vá o mais rápido possível ao médico, para que o problema possa ser identificado e resolvido e a criança não tenha consequências graves do transtorno alimentar.