Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

Consumo de café por crianças

Cuidados quanto ao consumo de café por crianças

Oferecer grande quantidade de café para uma criança consumir não é uma boa ideia. Dentre outros motivos, porque café é muito rico em cafeína, uma substância psicoativa que pode causar forte dependência – exatamente com muitas drogas lícitas ou ilícitas. Além disso, a cafeína pode levar a modificações no funcionamento do organismo que, em crianças, podem causar problemas ainda maiores.

Quando ingerida de forma controlada e moderada, a cafeína deixa-nos mais “acordados”: dilata os vasos sanguíneos, aumenta a frequência dos batimentos cardíacos bem como a atividade cerebral. Por tais efeitos, ela é considerada uma substância estimulante e seu uso deve ser bastante controlado.

A cafeína é uma substância que está presente não somente nos cafés, mas também em vários outros alimentos, como chocolates, chás (verde e mate), bebidas em geral à base de cola (como a Coca-Cola e a Pepsi) ou guaraná (como o guaraná antártica, kuat e várias bebidas energéticas) e o chimarrão. Desta forma, não é somente por meio do consumo de café que podemos chegar à dependência ou apresentar os efeitos colaterais, mas é ele um grande responsável.

Qual a quantidade máxima permitida para consumo de forma segura?

Em muitos países, ainda não há uma regulamentação quanto ao consumo de café. Nos Estados Unidos, não há nenhum limite estabelecido. No Brasil também não há parâmetros para referências, apesar de alguns especialistas em nutrição sugerirem que crianças deveriam consumir no máximo 1/4 de uma xícara, sendo a mesma completada com leite.

O Canadá é um dos poucos países que apresenta dados mais específicos: o consumo de cafeína não deveria superar o valor de 2,5mg por kg de massa corporal do indivíduo. Pesquisadores, então, puderam fazer uma estimativa da quantidade média de cafeína que uma criança pode consumir diariamente com base no seu peso médio:

  • Crianças na faixa de 4 a 6 anos: consumo máximo de 45 mg por dia;
  • Crianças na faixa de 7 a 9 anos: consumo máximo de 62,5 mg por dia;
  • Crianças na faixa de 10 a 12 anos: consumo máximo de 85 mg por dia.

Consumo de refrigerantes e bebidas à base de cola e guaraná deve ser bastante vigiado, pois eles apresentam altas quantidades de cafeína, que facilmente pode superar a quantidade máxima diária recomendada. Só o consumo de uma lata de coca-cola já apresenta a quantidada máxima recomendada para uma criança de 4 a 6 anos!

Estudos da University of Nebraska Medical Center (realizados em 2010) apontaram que 3/4 das crianças norte-americanas consomem cafeína além do limite diário, o que as tem levado a dormirem menos, apresentarem maior hiperatividade e até mesmo influenciou negativamente no rendimento escolar. E o principal vilão é o refrigerante!

O elevado consumo de cafeína, tanto em crianças quanto em adultos, está levando a muitos efeitos colaterais: azia, problemas cardio-respiratórios, dores de cabeça e/ou de estômago, nervosismo e irritabilidade. Além disso, estudos apontam que um consumo de cafeína por grávidas acima de 150 a 200 mg pode causar sérias complicações à gravidez.

Dentre as principais complicações durante uma gestação, podemos apontar má formação fetal, retardamento no desenvolvimento fetal, afetando inclusive o peso dos bebês, e maiores riscos de aborto espontâneo. Mamães que estão em fase de amamentação também não devem consumir muito café ou chocolate, pois a cafeína também será consumida pelos bebês, podendo causar intoxicações.