Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

Os hábitos alimentares no Brasil

Os hábitos alimentares de um grupo ou de um indivíduo caracterizam a forma como ele se alimenta e como prepara o cardápio que será consumido. Esses hábitos representam a forma com que a pessoa utiliza os alimentos que estão disponíveis em determinado meio. Os hábitos alimentares podem ser influenciados por uma série de fatores como condição socioeconômica, grau de escolaridade, tradições, preferências alimentares, estilo de vida entre outros. Esses hábitos apresentados pelo indivíduo é que irão determinar a qualidade de sua alimentação bem como toda a oferta de nutrientes como vitaminas, minerais e fibras.

Influências dos hábitos alimentares no Brasil

Os hábitos alimentares no Brasil sofreram diversas influências por parte das pessoas responsáveis pela colonização do país. A forte influência negra é até hoje predominante na culinária do país, com alimentos que fazem parte da dieta habitual dos brasileiros como o feijão, os portugueses também tiveram sua importante contribuição e incorporaram na nossa alimentação diversas preparações feitas com carnes de frango, galinha, vaca, carneiro além de trazerem também temperos essenciais na dieta atual dos brasileiros como o alho e a cebola. Além disso, pode-se destacar também a influência indígena que apresentou uma importante contribuição.

No Brasil, também podemos encontrar uma grande variedade de frutas e verduras, o que contribui ainda mais para melhorar a qualidade da alimentação em geral. No entanto, diversos fatores influenciam a forma como o indivíduo irá aproveitar esse variedade de alimentos, vejamos agora como atuam esses fatores.

Análise dos fatores que influenciam os hábitos alimentares

Socioeconômicos – esses fatores são determinantes no hábito alimentar do indivíduo, pois determina quais os tipos de alimentos que ele pode adquirir mediante a sua condição financeira. Optar por substitutos da carne mais baratos, é muito comum entre as pessoas que não dispõe de uma boa condição financeira, dessa forma elas consomem uma grande quantidade de alimentos mais baratos como os embutidos (mortadelas, salsichas, calabresas). O problema desses alimentos é que eles contêm uma grande quantidade de calorias, sódio e gordura em contrapartida muitos poucos nutrientes. Esse é apenas um dos exemplos que se pode citar sobre a qualidade da alimentação das pessoas que possuem pouco recurso para isso, outra limitação na dieta desses indivíduos, é quanto a variedade e a disponibilidade de frutas na dieta.

No entanto, isso não significa que o indivíduo que possui uma boa condição financeira apresenta uma dieta saudável. A grande diferença é que no primeiro caso, o indivíduo não dispõe de recursos para poder escolher alimentos melhores, já no segundo caso, o indivíduo dotado de uma boa condição financeira pode optar por uma variedade maior de frutas, cereais integrais, carnes de primeira qualidade, peixes como salmão, no entanto isso sem sempre é feito, o maior exemplo disso é o grande número de indivíduos obesos por conta do consumo frequente de fast food.

Conhecimento nutricional – hoje em dia a facilidade de obter informações a respeito dos alimentos é muito grande. Seja através de sites ou revistas sobre nutrição, o indivíduo consegue se manter informado a cerca dos alimentos. É óbvio que essas informações requerem discernimento, no entanto algumas são muito válidas. Além disso, o interesse populacional em torno de uma alimentação saudável é muito grande e muitos tem o devido conhecimento, no entanto colocá-la em prática nem sempre é tão fácil. Prova disso, é que a maioria dos indivíduos sabem como se alimentar de forma correta, no entanto poucos fazem isso.

Os hábitos alimentares no Brasil

O que se pode observar nos hábitos alimentares do Brasil, segundo análise do IBGE entre os anos de 2008-2009, é que o consumo de frutas e verduras ainda é considerado baixo. Em contrapartida, o consumo de alimentos como óleos, gorduras e açúcares ultrapassa o valor recomendado. Além disso, os gastos com alimentação fora de casa aumentaram e consequentemente a venda de produtos como arroz e feijão diminuíram consideravelmente. Outro fato observado foi que itens como laticínios, frutas e verduras, bebidas alcoólicas e alimentos prontos são mais adquiridos por classes com maior poder aquisitivo. Os produtos mais adquiridos nos supermercados são bebidas e infusões, seguidos de leite e derivados, cereais e leguminosas, frutas e por último carnes. Essa realidade não é encontrada em todas as regiões brasileiras, mas sim na maior parte do país.

Considerações finais

O que se pode observar é que o grande número de indivíduos que fazem suas refeições fora de casa aumentou, com isso houve uma diminuição na compra de itens que antes eram muito presentes nos carrinhos de supermercados, como arroz e feijão. O aumento da aquisição de refeições prontas colabora com essa realidade assim como também a elevada aquisição de bebidas e infusões. O mais preocupante nas características que envolvem os hábitos alimentos no Brasil, é que o reflexo dessa conduta alimentar atual, é o aumento do sobrepeso e obesidade.

A obesidade cresce em meio a todas essas mudanças significativas nos hábitos alimentares dos brasileiros e se mostra como uma doença crônica que pode ser fatal. O aumento das refeições fora de casa, inclui aquelas que são feitas em fast food e que possuem um elevado conteúdo calórico e pobre conteúdo nutricional.

Vale ressaltar que os hábitos alimentares são formadas ainda na infância, e dessa forma é imprescindível orientar as crianças quanto uma boa alimentação. A obesidade infantil é outra realidade ruim presente no Brasil, que já apresenta um grande número de crianças obesas e com doenças que antigamente só eram encontradas em adultos, como hipertensão, diabetes entre outras. Modificar hábitos alimentares não é algo fácil, porém não é impossível, é preciso muita determinação e empenho para conseguir implantar hábitos alimentares saudáveis na população.