Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

Os benefícios do vinho

Muito se tem falado sobre os benefícios que o vinho promove ao organismo humano. Todos os anos, há um grande número de noticias sobre esse assunto. Mas será que beber vinho regulamente pode fazer a diferença? É o que veremos nesse artigo.

Pesquisas realizadas para demonstrar os benefícios do vinho

O vinho promove a longevidade – segundo pesquisas finlandesas realizadas com quase dois mil e quinhentos indivíduos do sexo masculino em um período de vinte e nove anos, os consumidores de vinho têm uma taxa de mortalidade 34% menor do que os consumidores de cerveja ou outros tipos de bebidas.

O vinho reduz o risco de problemas cardíacos – segundo uma pesquisa norte-americana realizada por dezesseis anos com mais de onze mil indivíduos do sexo masculino consumidores moderados de vinho que sofrem de hipertensão apresentam um percentual de risco 30% menor de ter um ataque no coração, quando comparados aos que não consomem a bebida.

Em outro estudo científico realizado em Londres ficou comprovado que o vinho tinto-taninos contém substâncias denominadas procianidinas, cuja propriedade é proteger as pessoas contra doenças cardíacas. Os vinhos da região da Sardenha e do sudoeste da França têm essas substâncias em maior quantidade que os outros vinhos.

O vinho reduz o risco de diabetes tipo 2 – uma pesquisa holandesa realizada por mais ou menos doze anos em cerca de trezentos e sessenta e nove mil indivíduos do sexo masculino consumidores moderados de vinho apresentam um risco menor de 30% do que os não consumidores de desenvolver diabetes tipo 2.

O vinho diminui o risco de um AVC (acidente vascular cerebral) – de acordo com pesquisas norte-americanas realizadas por cerca de oito anos em mais de três mil indivíduos do sexo masculino, a possibilidade deles vir a sofrer um coágulo de sangue relacionado com um AVC reduz em cerca de 50% naqueles que consomem quantidades moderadas, se comparados aos que não consomem vinho.

O vinho promove redução do risco de catarata – um estudo científico realizado na Islândia em mais de mil indivíduos do sexo masculino, consumidores moderados de vinho demonstraram uma probabilidade menor que 32% de terem catarata do que aqueles que não consumiam vinho.

O vinho reduz o risco de câncer de cólon – segundo uma pesquisa norte-americana realizada por quatro anos em mais de dois mil indivíduos consumidores moderados de vinho tinto, ele teria a capacidade de reduzir o risco de câncer de cólon em 45%.

Quantidade consumida de vinho e seus benefícios

De acordo com especialistas o vinho se consumido com moderação e aliado a uma dieta saudável, pode trazer muitos benefícios para o organismo humano.

Devido ao seu teor de compostos naturais de plantas, chamados fitoquímicos alcoólicos e não alcoólicos, o vinho tem demonstrado a propriedade de reduzir o risco de enfermidades cardíacas, determinados tipos de tumores cancerígenos, e contribuem também para retardar a evolução de doenças neurológicas degenerativas tais como a doença de Alzheimer e doença de Parkinson.

No entanto, a quantidade de vinho que a pessoa consome é muito importante. Segundo especialistas ingerir mais do que é recomendado, acaba anulando seus benefícios, aumentando os riscos para a saúde desses indivíduos. O consumo de vinho não deve ultrapassar os seguintes parâmetros:

Indivíduos do sexo masculino: Não mais do que duas doses (taças) de vinho por dia.

Pessoas do sexo feminino: Não mais do que uma dose (taça) de vinho por dia.

Os benefícios das substâncias presentes no vinho

De acordo com pesquisas científicas, os especialistas afirmam que o vinho é constituído por várias substâncias benéficas ao corpo humano, dessa forma podemos constatar alguns benefícios:

Quantidades moderadas de vinho podem aumentar o colesterol bom (HDL-colesterol) e promover a diluição do sangue, evitando formação de coágulos. Isto é um dos principais benefícios cardiovasculares do vinho (principalmente tinto e branco).

As substâncias fitoquímicas não alcoólicas presentes no vinho, como flavonoides e resveratrol, agem como antioxidantes e evitam que moléculas dos radicais livres causem danos nas células do organismo humano.

Em alguns estudos científicos realizados, que se concentraram sobre os benefícios do resveratrol para a saúde humana, afirmam que essa substância tem se mostrado eficaz para evitar a formação de coágulos no sangue e placas nas artérias, modificando o perfil lipídico e viscosidade plasmática.

Os resultados de um estudo recente demonstram que o resveratrol pode produzir potentes agentes antitrombóticos que são capazes de melhorar significativamente os problemas cardiovasculares nos indivíduos, além de reduzirem o risco de doença cardíaca coronariana nos seres humanos.

Por Salete Dias