Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

Carência de vitamina D e anemia

Recentemente a carência de vitamina D e anemia foram constatadas em um estudo que foi publicado. As pesquisas relataram que crianças com baixas reservas de vitamina D apresentavam maior probabilidade de desenvolver uma anemia associada a essa deficiência, pois os glóbulos vermelhos presentes no sangue das mesmas, transportavam pouco oxigênio.

A anemia geralmente é associada a baixa ingestão de alimentos fontes de ferro, entretanto como podemos observar nem sempre essa é a sua causa. Infelizmente no Brasil várias crianças menores de dois anos de idade que apresentam anemia e isso sem dúvida, compromete o seu desenvolvimento e crescimento. Existem outras causas de anemia que não estão relacionadas com a deficiência de ferro e vitamina D, como a anemia falciforme e perniciosa.

A vitamina D faz parte do grupo das vitaminas lipossolúveis e assim como todas as outras vitaminas, ela pode ser encontrada em pequenas quantidades em alguns alimentos. Entretanto, a exposição solar é essencial para que essa vitamina possa ser melhor absorvida e produzida pela pele. Atualmente muitos pais evitam expor seus filhos ao sol por conta dos problemas associados ao câncer de pele, além disso a comodidade e a insegurança da vida atual, faz com que até mesmo crianças que moram perto das suas escolas, frequente-as de carro ou transporte escolar; dessa forma cada vez menos as crianças estão sendo expostas a luz do sol entre 6 e 8 horas da manhã, o que aumenta ainda mais a deficiência de vitamina D nessa fase da vida.

A presença de vitamina D no organismo além de ser essencial para evitar a anemia ferropriva em crianças, também auxilia na absorção de outros nutrientes como cálcio e fósforo. Essa vitamina pode ser encontrada em alguns alimentos como gema de ovo, óleo de fígado de bacalhau, entre outros.

Carência de vitamina D e anemia

Um dos estudos realizados para constatar essa associação, foi feito com crianças e jovens entre 2 e 18 anos de idade que tiverem seus níveis de vitamina D e hemoglobina medidos através de um exame de sangue. O que ficou constatado foi que quanto menor a quantidade de hemoglobina no sangue, menor também seriam os níveis de vitamina D encontrados no exame daquela criança ou jovem. Quanto maior a quantidade de vitamina D encontrada, menor seria o risco de desenvolver anemia. Outro ponto que foi destacado no estudo foi que as crianças negras apresentavam maior probabilidade de terem anemia, já os níveis de vitamina D encontrados nas mesmas, eram bem inferiores.

Esse estudo conclui que outras pesquisas já haviam comprovado que a anemia é mais comum em crianças negras, no entanto não foi encontrada nenhuma causa que justificasse essa relação. Além disso, destacou-se também que a ausência de vitamina D não pode ser considerada a causa da anemia em crianças, mas deve ser um fator observado pois elas ocorrem ao mesmo tempo.

Baixos níveis de vitamina D também foram constatados em adolescentes obesos. Em um outro estudo realizado, adolescentes obesos que foram constatados com baixos níveis de vitamina D, foram submetidos a um tratamento para repor quantidades significativas dessa vitamina, e o resultado encontrado foi ainda mais preocupante, pois a maioria dos adolescentes não conseguiram repor os baixos níveis encontrados. Dessa forma, constatou-se a hipótese de que a gordura em excesso provocava uma espécie de captura da vitamina D do organismo.

Considerações finais

Os nutrientes que promovem o funcionamento correto no nosso organismo, na maioria das vezes atuam em harmonia um com o outro. Por isso que é tão importante seguir uma alimentação balanceada bem como as recomendações a respeito das formas que podemos obter as vitaminas. Recomenda-se que os recém nascidos recebam um banho de sol por volta das 7 horas da manhã, essa recomendação é muito importante pois evita uma deficiência muito comum em nossas crianças, que é a deficiência de vitamina D.

A ausência de vitamina D também está associada a outros problemas como o enfraquecimento do sistema imunológico pois aumenta o risco do indivíduo apresentar gripes e resfriados, reduz a incidência de Mal de Parkinson e a sua ausência também está associada ao aumento da hipertensão em mulheres.

Dessa forma vale ressaltar a importância de consumir os alimentos que são fontes dessa vitamina bem como de aumentar a sua absorção através da exposição ao sol em horários adequados que compreende 7 às 9 horas da manhã.