Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

A Importância da Alimentação na Prevenção do Câncer

Boa tarde a todos!

Mais uma vez, desculpe-nos a demora em escrever algo para este nosso tão querido site – “vida corrida”, então a gente vai fazendo o que pode. 🙂

Hoje, gostaria de falar sobre a importância da alimentação na prevenção do câncer.

Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), os hábitos alimentares são um dos fatores de risco (outros fatores incluem o envelhecimento da população, alcoolismo, o tabagismo, estilos de vida inapropriados e hábito da prática de sexo sem segurança – sem preservativo, em outras palavras).

Sendo assim, é dever de nós do “Nutrição em Foco” abordar o assunto, não?

Segundo a composição química dos alimentos, podemos saber quais os riscos envolvidos em seu consumo a longo prazo. Já foi estudado e comprovado: certos tipos alimentos parece propiciar o ambiente perfeito para a proliferação de células cancerosas.

Vamos então abordar os alimentos segundo grupos a fim de melhor compreendermos como eles podem ser prejudiciais.

Alimentos ricos em gorduras

A gordura, responsável pela obesidade e por problemas cardiovasculares, também é uma das vilãs que propiciam a proliferação de células cancerosas.

Sendo assim, carnes vermelhas, frituras (como os salgadinhos e os lanches fast-food), molhos com maionese, bacon, presuntos, salsichas, lingüiças, mortadelas e outros alimentos devem ser evitados ou consumidos com moderação.

O leite e seus derivados também são fonte de gorduras, mas como também são fontes de vários outros nutrientes importantes (como o cálcio) aconselha-se então moderação em seu consumo.

Alimentos contendo níveis significativos de agentes cancerígenos

Nitrito e nitrato, por exemplo, fazem parte da fórmula de várias substâncias usadas para conservar alimentos que, no estômago, transformam-se em nitrosaminas, um potente agente cancerígeno.

Picles, salsichas (de novo!) e alguns tipos de  enlatados estão neste grupo.

Alimentos expostos a substâncias com ação carcinogênica (que potencializam o desenvolvimento do câncer)

Defumados e churrascos, por sua vez, são impregnados pela fumaça do carvão, rica em alcatrão, o qual possui ação carcinogênica. Só para que se possa mensurar do que estamos falando, o mesmo alcatrão é o responsável pelos vários tipos de câncer associados ao tabagismo.

Carne-de-sol, peixes salgados e outros alimentos preservados em sal são associados ao câncer de estômago.

Além desses grupos de alimentos, a forma como os alimentos são preparados (como frituras ou carnes na brasa) podem agravar a situação, principalmente se o indivíduo possui uma alimentação pobre em fibras, com muita gordura e rica em calorias. Se você franziu a testa ao ler essas palavras e pensou que estávamos descrevendo você, cuidado, você pode estar transformando seu corpo em uma bomba-relógio!

O armazenamento dos alimentos de forma inadequada pode levar à formação de fungos e bactérias capazes de produzir toxinas cancerígenas.

Como prevenir (ou potencializar o tratamento)?

Se você está preocupado com a sua alimentação e quer saber algumas dicas rápidas sobre como prevenir ou mesmo potencializar o tratamento (no caso daqueles que já iniciaram o desenvolvimento da doença), aqui vão:

  • O consumo de frutas, verduras e legumes frescos (em bom estado e com boa higienização) é indicado. Consuma ao menos quatro porçoes diariamente. A batata-doce, por exemplo, é rica em vitamina A, nutriente conhecido por sua atuação na prevenção de câncer;
  • Consumo de alimentos naturais e integrais com o mínimo de processamento industrial;
  • Opte sempre por alimentos frescos e sem conservantes;
  • Incluir grãos e cereais no cardápio;
  • Limitar o consumo de gordura: evite as de origem animal e consuma moderadamente as de origem vegetal (óleo de canola e azeite de oliva são os mais recomendados);
  • Cuidado com defumados, churrascos e outros alimentos que se encaixam em um dos grupos de risco apresentados lá em cima;
  • Reduza/elimine o consumo de álcool e tabaco;
  • Controle a massa corporal – obesidade é também um fator de risco.

Bem, esperamos que após essas dicas você esteja ainda mais consciente sobre a importância de uma boa alimentação. 🙂