Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

Tipos de raquitismo

Conhecer os tipos de raquitismo ajuda-nos a compreender as causas de cada um dos mesmos, a fim de melhor nos protegermos e proteger aos nossos filhos.

Algum tempo atrás escrevemos um artigo bastante interessante sobre o raquitismo, mas que não contemplava a descrição de cada um dos tipos de raquitismo, um de nossos leitores esteve atento a isso e pediu-nos que falasse sobre isso.

O que era para ser apenas uma resposta para a nossa leitora Joana Teques Conho acabou tornando-se um novo artigo, obviamente sobre os diversos tipos de raquitismo.

Só para refrescar a memória de quem está um pouco esquecido: o raquitismo é uma doença no tecido ósseo que se caracteriza pela redução  da mineralização óssea, geralmente ocorre em crianças (mas também pode desencadear-se em adultos!) pela ausência de vitamina D ou de cálcio na alimentação.

Como é de se esperar, alguns tipos de raquitismo são mais populares, enquanto que outros não recebem a devida atenção da população (talvez por falta de informação sobre os mesmos). Vamos conhecer agora os principais tipos de raquitismo?

  • Raquitismo hipofosfatêmico – esse tipo de raquitismo é resistente à vitamina D. No tratamento dessa doença, altas doses dessa vitamina devem ser administradas;
  • Raquitismo dependente de vitamina D tipo I – esse é determinado por mutações no gene que codifica uma enzima que atua no rim. É uma doença hereditária que se manifesta geralmente no primeiro ano de vida com retardo no desenvolvimento estrutural, deformações ósseas e até mesmo convulsões. Apesar de ser uma doença hereditária ela pode ser herdada de pais que não a apresenta já que é transmitido através de herança autossômica recessiva, isto é, através de características genéticas que podem não se manifestar nos genitores;
  • Raquitismo dependente de vitamina D tipo II – assim como o raquitismo hipofosfatêmico ele é resistente à vitamina D. É uma doença rara onde os tecidos apresentam resistência à forma ativa da vitamina D.
  • Hipofosfatasia – é caracterizado pela redução da atividade da enzima fosfatase alcalina, que é um tipo de enzima produzida em alguns órgãos e que apresenta importante papel na mineralização do esqueleto. Apesar de ser raro, esse tipo de raquitismo pode se manifestar em qualquer fase da vida, até mesmo quando o bebê ainda está na barriga da mãe;
  • Raquitismo induzido por anticonvulsivantes – anticonvulsivantes são usados para tratar ou prevenir convulsões, entretanto eles promovem a produção de produtos do metabolismo que inativam a vitamina D, o que prejudica a mineralização óssea.
  • Raquitismo nutricional – esse tipo de raquitismo ocorre por deficiência de vitamina D ou cálcio. O que pode ocorrer nesse caso, é um comprometimento do crescimento e desenvolvimento do indivíduo.

Cada tipo de raquitismo apresentado aqui irá desenvolver um tratamento específico. A prevenção dessa doença pode ser realizada através do consumo de alimentos que sejam fontes de vitamina D, cálcio, fósforo e com a exposição à luz solar. Caso o raquitismo se apresente independente da adoção desses hábitos, é necessário procurar orientação médica.

Referência bibliográfica

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, Raquitismo e Osteomalacia