Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

Obesidade e síndrome do ovário policístico

Que o problema da obesidade traz grandes malefícios para os seres humanos tanto do sexo masculino, quanto do sexo feminino já é de consenso comum. Alguns estudos científicos vêm apontando cada vez mais diversas patologias associadas ao sobrepeso, e em especial nas mulheres parece haver uma relação com a obesidade e síndrome do ovário policístico. Mas será que essa afirmação procede? É o que veremos a seguir.

Entendendo a síndrome do ovário policístico

De acordo com especialistas a síndrome do ovário policístico é uma das doenças metabólicas que mais acometem as mulheres adultas e adolescentes. Os ovários, como são conhecidos são dois órgãos do aparelho reprodutor feminino que acolhem os óvulos femininos, e que produzem os hormônios sexuais nas mulheres. Considerada pelos profissionais como uma doença bastante complexa, a síndrome de ovário policístico, se caracteriza pelo surgimento de um grande número de cistos nesses órgãos.

Para diferenciar um cisto no ovário de um policístico além da quantidade é o tamanho deles. Segundo estudos científicos em torno de dez por cento das mulheres em idade adulta que apresentam a síndrome do ovário policístico tem algum tipo de complicação associada como surgimento de pelos corporais, alterações menstruais e o problema da obesidade.

Relação entre síndrome do ovário policístico e alimentação

Os especialistas informam que o aparecimento da obesidade em mulheres portadores da síndrome do ovário policístico pode ser prevenido através de um comportamento alimentar, no qual haja a preocupação com a redução do excesso de peso corporal, e posterior manutenção que seja compatível com o tipo físico da mulher. Vale ressaltar que não há evidências científicas até o presente momento que afirme com total certeza se é a síndrome do ovário policístico que provoca o problema do excesso de peso corporal nas mulheres, ou se é o aumento do peso que traz conseqüências maléficas ao organismo feminino, piorando ainda mais os sintomas clínicos da síndrome.

No entanto, o que é aceito dentro da comunidade científica é que na síndrome do ovário policístico haveria uma falha no receptor para o hormônio insulina que levaria a um aumento da síntese de outros hormônios, como por exemplo, testosterona e androstenediona ao nível ovariano. Nesse caso o aumento de peso corporal, está relacionado com uma relação cintura quadril elevada nas mulheres, caracterizando um tipo andróide. Elas apresentam também uma dificuldade muito grande em conseguir perder excesso de peso corporal em virtude da falha dos adipócitos na presença da insulina, quando há resistência. O excesso de peso corporal aumenta quando há resistência a esse hormônio, bem como há o risco do aparecimento de diabetes e de complicações cardiovasculares.

Estudos científicos realizados

Segundo algumas pesquisas científicas que foram realizadas sobre a relação entre obesidade e síndrome do ovário policístico quase cinquenta por cento das mulheres que apresentam excesso de peso corporal apresentam a síndrome. Em outros estudos foi demonstrado pelos pesquisadores, a possibilidade de haver uma relação entre os hormônios insulina, leptina, o índice de massa corporal e a síndrome do ovário policístico.

Porém dentro da comunidade cientifica essa relação ainda é motivo de controvérsia, pois muitos acreditam que outras pesquisas deverão ser realizadas para comprovar essa hipótese. No entanto, o número de mulheres que apresentam a síndrome de ovário policístico e que são obesas é muito significativo para se pensar que talvez, não haja uma relação direta entre as duas complicações orgânicas, pelo menos o aparecimento de um problema implicaria consequentemente no aparecimento do outro. Com certeza um número maior de mulheres tanto na fase adulta, quanto na adolescência deve ser investigada para confirmar ou refutar essas hipóteses científicas.

Considerações finais

Apesar de não haver ainda até o presente momento uma comprovação científica que ateste com 100% de certeza existem muitas evidências de que há uma relação de causalidade entre a obesidade e síndrome do ovário policístico em mulheres mais maduras, na faixa etária de reprodução. Algumas autoridades científicas apontam, contudo, algumas provas da correlação íntima entre os dois problemas, na qual uma poderia ser conseqüência da outra.

A recomendação dos especialistas na área médica é que se a mulher for diagnosticada com a síndrome do ovário policístico inicie o tratamento imediatamente com o seu ginecologista, e caso já apresente o problema de excesso de peso corporal, procure o auxílio de um profissional experiente em nutrologia ou nutrição, para que ele possa fazer acompanhamento com a orientação de uma dieta adequada que proporcione o emagrecimento da paciente. Vale ressaltar que o tratamento da síndrome do ovário policístico, por ser muito complexo envolve a participação de vários profissionais.

Por Salete Dias