Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

Homocisteína e Doenças do Coração

Existem vários fatores de risco que estão  relacionados às doenças do coração. Recentemente, foi observado em jovens um aumento de uma substância chamada homocisteína, que quando aumentada no sangue indica a presença de alguma enfermidade na pessoa.

Fatores de Risco para Doenças Cardíacas

Os especialistas denominam fator de risco a todo aquele que está relacionado com o aumento da enfermidade, sendo comprovado através de evidências científicas. Vários são os fatores que podem desencadear uma doença cardíaca, alguns podem ser controlados e outros não, como no caso do sexo, raça, hereditariedade e idade. Indivíduos com histórico familiar de doenças cardiovasculares como infarto, por exemplo, devem tomar mais cuidado pois apresentam maior probabilidade de desenvolverem a enfermidade.

Segundo estudos científicos, indivíduos da raça negra apresentam uma maior incidência de apresentarem hipertensão arterial, que  é um fator que pode resultar em uma complicação cardiovascular. Pessoas com mais de sessenta e cinco anos de idade também estão mais propensas a sofrerem enfermidades cardíacas e vasculares e os homens tem maiores riscos de desenvolver infarto se comparados às mulheres, apresentando um índice bem maior do aparecimento da doença.

Dentre os fatores de risco que podem ser controlados estão: Sedentarismo, tabagismo, hipertensão arterial, diabetes, estresse, obesidade e altos índices de colesterol.

Novo fator de Risco: Homocisteína

Foi observado por especialistas em algumas crianças  e adolescentes portadores de doenças cardiovasculares, como infarto do miocárdio, a elevação de uma substância chamada homocisteína que está presente na corrente saguínea. A homocisteína está diretamente associada  a aterosclerose, sendo um indicativo da existência dessa enfermidade. O aumento dessa substância no sangue é devido a uma alteração genética, e ela participa do processo metabólico dos aminoácidos.

A Arteriosclerose é uma enfermidade inflamatória decorrente das varias situações que promovem alterações no calibre dos vasos sanguíneos, em virtude do armazenamento em suas paredes de gordura e essa ocorrência favorece o aparecimento de graves doenças como infartos, tromboses e embolias todas relacionadas com a irrigação insuficiente do sangue no organismo da pessoa.

Relação entre Homocisteína e Arteriosclerose

Os especialistas descobriram uma relação entre o aumento de homocisteína na corrente sanguínea do indivíduo e  o aparecimento de um processo de arteriosclerose. A elevação da homocisteína pode ser causada por vários fatores, entre eles: Déficts de vitaminas B12, B6 e ácido fólico; Doenças como hipotireoidismo e insuficiência renal também apresentam a homocisteína aumentada; Indivíduos que fazem uso de medicação de metotrexate, teofilina e fenitoína; Além do vício do cigarro que também promove a elevação da substância.

Quando o profissional deseja verificar se há algum traço de doença vascular então deve pesquisar na corrente sanguínea da pessoa,  se há aumento da homocisteína e fazer exames complementares como glicemia, por exemplo. Alguns estudos realizados demonstraram que índices muito altos de homocisteína são indicativos de enfermidades cardiovasculares.
Pesquisa sobre Níveis de Homocisteína e Problemas Cardíacos

Pesquisadores norte-americanos realizaram uma pesquisa sobre a relação existente entre os níveis séricos de homocisteína e as enfermidades cardíacas. Com  a análise de  quarenta e três estudos, inicialmente  foi observado que a substância se encontrava aumentada com maior frequência em indivíduos com complicações cardiovasculares, porém estudos posteriores não demonstraram muita diferença em pessoas sem doenças cardíacas.

Vale ressaltar que esse trabalho de pesquisa não relacionou o aumento da homocisteína à riscos de doenças cardiovasculares. Outros estudos científicos deverão ser realizados para verificar se há essa associação. De acordo com alguns especialistas, a causa  da  elevação da homocisteína ainda não esta muito clara.

Outras pesquisas demostraram que  a elevação da homocisteína acomete pessoas portadoras de enfermidade vascular obstrutiva, porém quando a homocisteína está aumentada na corrente sanguínea nos indivíduos que não tem enfermidade vascular não foi encontrado um fator de risco significativo para  favorecer essas doenças.

Estudos Recentes

Estudos científicos mais recentes sugeriram que a enfermidade vascular favorece a elevação da homocisteína sérica, e o aumento dela é verificado alguns dias depois do infarto do miocárdio e do derrame cerebral. Quando a homocisteína está aumentada, isso significa que houve lesão no tecido  e também a presença de um processo inflamatório.

De acordo com essa pesquisa somente vinte por cento das pessoas com infarto do miocárdio e trinta por cento com acidente vascular cerebral apresentaram um aumento na homocisteína, o que fez os especialistas concluírem que talvez haja uma normalização da substância depois do problema vascular. A prevenção para essas complicações seria basicamente as mudanças no estilo de vida do indivíduo, evitando os fatores de risco associadas à homocisteína.

Por Salete Dias