Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

Importância de uma dieta de baixo índice glicêmico

Já há algum tempo a maneira como as pessoas veem os hidratos de carbono em seus alimentos não é mais a mesma. Desde 1981, pesquisadores canadenses descobriram que determinados carboidratos eram digeridos mais rapidamente do que outros, resultando desse processo um aumento muito rápido dos níveis de açúcar na corrente sanguínea. Quando se escolhe alimentos com baixo índice glicêmico, esse tipo de dieta pode reduzir o alto índice de açúcar no sangue. Nesse artigo abordaremos a importância de uma dieta com baixo índice glicêmico para os indivíduos.

O papel dos carboidratos no corpo humano

Os hidratos de carbono são essenciais para a dieta dos seres humanos. Durante a digestão, o corpo do individuo transforma os carboidratos em glicose, que por sua vez fornece o combustível necessário ao seu funcionamento. Os alimentos com baixo índice glicêmico se quebram gradativamente no sistema digestivo, fornecendo uma fonte de combustível duradoura.

Entendendo o Diabetes

A escolha de alimentos com um baixo índice glicêmico de 55% ou menos pode auxiliar as pessoas portadoras de diabetes a manterem os níveis de açúcar estáveis na corrente sanguínea. De acordo com especialistas, o consumo de alimentos com uma elevada escala de índice glicêmico pode causar um aumento muito rápido de glicose no sangue.

Uma elevação do nível de açúcar no sangue do individuo pode ocasionar uma liberação temporária de insulina, e uma queda nos níveis de açúcar da correte sanguínea. Quando as pessoas que são diabéticas selecionam alimentos com baixo índice glicêmico, ficam menos propensos a sofrer as alterações dos níveis de açúcar no sangue.

Perda de peso e índice glicêmico

Segundo estudiosos, além de promover a regulação dos níveis de glicose no sangue, o consumo dos alimentos com baixo índice glicêmico pode ser benéfico também na perda do excesso de peso corporal. Uma grande variedade de alimentos com baixo índice glicêmico, como por exemplo, frutas frescas e vegetais, também contêm fibras, que são responsáveis pela absorção de líquidos no estômago, fazendo com que a digestão seja feita devagar, tendo como resultado a pessoa se sentir satisfeita sem ter de comer muito.

Alimentos com baixo índice glicêmico

A maioria das frutas possui baixo índice glicêmico. Cerejas, damascos, maçãs, peras, ameixas e pêssegos todos têm um índice glicêmico inferior a 55. Os vegetais com baixo índice glicêmico incluem: espargos, aipo, pepino, feijão verde, ervilhas, espinafres, abóbora, alcachofra, brócolis e berinjela.

O baixo teor de gordura do leite desnatado e iogurte faz com que eles também estejam na lista de alimentos com baixo índice glicêmico.  As carnes não aparecem no índice glicêmico, uma vez que não contêm carboidratos.

Fatores que afetam o índice glicêmico

Embora a escala do índice glicêmico ofereça como ponto de partida a escolha dos alimentos que não vão desencadear um aumento de açúcar no sangue, outros fatores podem alterar essa classificação nos alimentos. As frutas muito maduras e os legumes terão uma melhor classificação no índice glicêmico do que suas partes não amadurecidas.

Os alimentos processados também pode aumentar a classificação do nível de glicemia. Os sucos de frutas têm índice glicêmico mais elevado do que frutas frescas e os alimentos mais cozidos, apresentam uma classificação maior na escala de índice glicêmico.

De acordo com a American Diabetes Association o equilíbrio dos alimentos de baixo índice glicêmico com os princípios da boa nutrição, como por exemplo, comer porções de alimentos com moderação, pode levar as pessoas a escolherem alimentos ricos em nutrientes e pouco calóricos.

Importância de uma dieta de baixo índice glicêmico

A dieta com baixo índice glicêmico se concentra principalmente no modo como é feita as refeições com carboidratos, proteínas e gorduras boas. Esta dieta faz com que seja mais fácil para a pessoa a perda de excesso de peso corporal evitando dietas inadequadas.

Ela ajuda a manter os níveis de açúcar no sangue mais regulares, fazendo com que a pessoa realmente queime mais calorias. Ela também irá auxiliar na resistência à insulina em indivíduos que são portadores de diabetes do tipo 1 ou 2.

Por último, a alimentação com baixo índice glicêmico contribui para a redução o risco de enfermidade cardíaca.

No caso do acúmulo de gordura indesejada, é interessante saber que a gordura visceral é a que recobre o entorno dos órgãos vitais. Ela o tipo mais prejudicial de gordura porque produz inflamação, afetando outros órgãos do corpo humano e levando a um maior risco do desenvolvimento do diabetes tipo 2 e doenças cardíacas.

É importante fazer uma dieta que inclua muitas frutas e legumes, proteínas magras, laticínios com pouca gordura e cereais integrais. A ingestão de gordura deve ser insaturada, que é encontrada em óleos de oliva e canola. Outras fontes de gordura boa para incluir em sua dieta são as amêndoas, nozes, abacate, linhaça, óleo de peixe, entre outros.

Por Salete Dias