Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

Alimentação para portadores de refluxo gastroesofágico

As pessoas que sofrem de refluxo gastroesofágico, ou hérnia de hiato, como alguns chamam apresentam vários problemas orgânicos decorrentes dessa abertura alargada do diafragma dos indivíduos que propicia a projeção da porção superior do estômago.

De acordo com especialistas na área médica e de nutrição, o comportamento alimentar que o indivíduo adota exerce um papel de extrema importância para amenizar os sintomas do refluxo. No entanto como será que a alimentação dos portadores de refluxo gastroesofágico consegue atuar de maneira benéfica no tratamento desses pacientes? É o que veremos no decorrer desse artigo:

Principais causas de refluxo gastroesofágico

Segundo profissionais da área médica, o refluxo gastroesofágico ou hérnia de hiato, como também é conhecido, pode ser definido quando há alargamento no hiato, que é uma abertura bem pequena no diafragma que se localiza justamente na porção onde o estômago e o esôfago se juntam.

Como resultado desse alargamento a porção da parte superior do estômago acaba se projetando para cima, normalmente em virtude da pressão sofrida por esse órgão pelo diafragma que resulta na emissão do ácido gástrico para o esôfago.

Outros fatores descritos como causadores do refluxo gastroesofágico foram os seguintes: esforço físico exagerado e súbito, vômitos, episódios de tosses frequentes, força na hora de evacuar, ganho excessivo de peso corporal e também como resultado do período da gravidez da mulher.

Realização do diagnóstico do refluxo gastroesofágico

Os portadores de refluxo gastroesofágico quando são consultados por um especialista da área médica descrevem que sentem um grande desconforto após se alimentarem com comidas muito gordurosas ou com excesso de gorduras, pois essas refeições pesadas tendem a causar-lhes uma sensação de incômodo muito grande quando estão deitados.

Segundos dados estatísticos existe uma maior incidência de portadores de refluxo gastroesofágico em pessoas na faixa etária de mais de cinquenta anos, no entanto, esse problema é de difícil diagnóstico, pois não possui sintomas claros ou específicos que o evidencie.

Geralmente os profissionais da área médica ou os especialistas em nutrologia, só conseguem diagnosticar que o indivíduo é portador de um refluxo gastroesofágico quando essas pessoas chegam a seus consultórios e se queixam de mal digestão e crises de azia constantes, que são resultantes, na verdade, do refluxo do ácido estomacal que é projetado para a garganta e esôfago do paciente.

Aparentemente sem causar grandes danos ao paciente, o refluxo gastroesofágico pode se tornar um caso grave em virtude dos frequentes ácidos estomacais que são projetados no esôfago do paciente e que podem ocasionar desde problemas de úlceras até a ruptura ou obstrução, além de sangramentos.

Quando o problema atinge esse ponto é necessário que os profissionais médicos intercedam através de um procedimento cirúrgico. No entanto, de acordo com profissionais da área de nutrição ou nutrologia, o refluxo gastroesofágico não vai evoluir até esse ponto, se o portador adotar uma dieta adequada e alguns hábitos benéficos à prevenção ou ao tratamento desse problema.

Importância da alimentação no refluxo gastroesofágico

Os alimentos que o portador de refluxo gastroesofágico consome, é de fundamental importância para auxiliar o seu tratamento. Alguns comportamentos como consumo excessivo de alimentos que possam vir a irritar a mucosa estomacal, como por exemplo, frutas cítricas, suco de tomate e picles, aumento excessivo de peso corporal, ingestão constante de produtos embutidos ou processados, consumo frequente de carnes gordas, ingestão de alimentos ou líquidos à base de cafeína como por exemplo, cafés, alguns tipos de chás e chocolates, devem ser evitados de todas as maneiras, pois podem agravar e muito o problema de refluxo, tornando o caso bem mais grave.

Recomendações alimentares para os portadores de refluxo gastroesofágico

Existem vários grupos de alimentos cujo consumo é de vital importância para a prevenção ou tratamento do refluxo gastroesofágico. Como principais exemplos podem ser citados: cereais, pães integrais, vegetais, fibras, frutas frescas e não ácidas podem auxiliar no tratamento do refluxo. De acordo com nutricionistas esses tipos de alimentos auxiliam o aparelho digestivo dos indivíduos a apresentar um bom funcionamento, prevenindo a constipação intestinal que é uma das causas do agravamento do problema de refluxo gastroesofágico.

Algumas importantes orientações alimentares que podem ser seguidas pelo paciente são: em virtude das crises de refluxo gastroesofágico ser mais comum no período noturno, o ideal é que as pessoas não bebam, nem comam por pelos menos duas horas antes de se deitarem, outra boa sugestão diminuir o excesso de peso corporal e tentar manter uma alimentação equilibrada com alimentos ricos em carboidratos e fibras e pobres em gorduras.

Por Salete Dias